Inevitável

janeiro 19, 2010

Chuva caindo

Um sabiá cantando

Uma criança a brincar.

Nuvem azul voa

Num céu todinho branco

E eu aqui a pensar

Em você.

Certa vez meu sono foi invadido por um canto. Um canto de passarinha bem bonito. Melodia da mata, que tocava junto do sopro do vento e das folhas das arvores. Já fazia quatro dias que estava lá, vivendo junto da floresta e da montanha, e até então nada havia me causado tamanha curiosidade e impressionismo. Levantei-me, fui até o lago, lavei o rosto e preparei-me para encontrar o dono de tal encanto. Lembro que não tive trabalho em encontrar a fonte da melodia, já que estava tão concentrado. Parecia um cachorro perdigueiro.  Depois de mais alguns passos, deparei com uma passarinha. Fiquei perplexo com o canto. Extasiado. Era de uma beleza tão sincera e infantil que meus pêlos do braço ficaram arrepiados, a mão tremulou, o peito arfou, a boca se enxeu de um gosto delicioso de caju. Não consegui conter um sussuro: Belíssimo. O canto cessou, e seu olhar encontrou com o meu. E eu reconheci aquele olhar de passarinha. E assim ficamos, por instantes, até que ela vôou e levou seu canto e seu encanto para outros cantos do mundo.

pico do Corcovado por Angélica Rodrigues

pico do Corcovado por Angélica Rodrigues

O dente de leão.

julho 5, 2009

Às vezes convém minha cabeça ficar inundada de chuva. De gotas pesadas que caem com força, cada estalo acordando com feroz selvageria os pensamentos mais profundos e reclusos da psique humana. Só então acostumo-me com a idéia de que sou só um animal, tão reles e mortal quanto um cachorro, um pássaro ou um leão.

Cabeça de Tanque

abril 16, 2008

Minha cabeça é um tanque de pensamentos.
Pensamentos de bicho, de animal selvagem.
Sou selvagem!
É inevitável que eu seja selvagem, afinal de contas eu ainda penso.
Penso na vontade, penso na verdade, penso no prazer e na fome. Penso que sou, pois se não, um cabeça-tanque de pensamentos.
As coisas fluem com naturalidade, inevitavelmente com naturalidade.
Da mesma maneira que a natureza derruba água dos céus, ela derruba estímulos para eu pensar.

Penso que posso, e falo que penso.

Rafael Furtado Camargo

março 17, 2008

acustico.jpg

“Seu baixo acústico ronca direto no coração,
Bate papo comigo,
Transpira minh’alma e
Me mata de tesão.
É um chamado para o grave da vida:
Paixão.
Da melodia mais profunda aos acordes mais simples,
Eis que surge a emoção.
Toca toca toca
Essas cordas que calejam sua mão.
Toca toca toca
Entre suas pernas corpo mágico desse som.

Regina de Araújo

colour_bass.jpg

Carolina em Cores

março 14, 2008

Carolina tem cor de fruta.

carola.jpg

ombros.jpg

sorriso.jpg

sol.jpg

neck.jpg

carolina.jpg

O Vestido

fevereiro 11, 2008

O vestido da moça era desse,

Deslumbrantes.

Que quando passa balançando da vontade de agarrar.

Agarrar ali mesmo, no ar.

Mas, melhor que o vestido, era a pele da moça.

Pele morena, de carnaval. Pele de folia e pele  pra

Encostar a cabeça e cochilar.

Além da pele, o olhar sonhador de jovem bonita.

Aquele olhar que a gente identificia e dá créditos.

Olhar que nos puxa pra dentro, nos atropela e faz

Com que a gente pergunte:

– Que lugar é esse?

Lugar onde a gente se perde facinho, facinho;

Pra se achar em lábios doces como caju.